O aplicativo “SOS Mulher”, lançado pelo Governo do Estado de São Paulo e desenvolvido pela Polícia Militar de SP, em março deste ano, para mulheres vítimas de violência doméstica (e que têm medidas protetivas concedidas pelo Tribunal da Justiça de São Paulo), já acumula 11.659 downloads ativos até o momento.

Segundo informações do Fundo Social de São Paulo, além do número expressivo de downloads, o app conta com 1.955 usuárias cadastradas, e 181 atendimentos às vítimas já foram realizados pelo COPOM (Centro de Operações da Polícia Militar) desde o lançamento do app, em março deste ano.

O app funciona como uma espécie de “botão do pânico”:  assim que a vítima aperta um botão, a PM é imediatamente acionada até o local em que ela se encontra.

App SOS Mulher: podem se cadastrar mulheres que têm medidas protetivas concedidas pelo Tribunal da Justiça de São Paulo (Foto: Reprodução)

 

“SOS Mulher”: o site

Também de acordo com o Fundo Social de São Paulo, o aplicativo será ampliado nesta quarta, 07.08, para um portal. O objetivo é que o site do “SOS Mulher” traga informações para que as mulheres “saibam reconhecer, evitar e combater as principais formas de violência listadas na Lei Maria da Penha: física, psicológica, sexual, moral e patrimonial”.

A curadoria do site é uma parceria do Fundo com Fabi Saad, autora do livro “Mulheres Positivas”.

saiba mais

  • Como a corrida ajudou uma mulher vítima de violência doméstica a recuperar a autoestima e a identidade
  • Violência doméstica: como superar o trauma e recuperar a autoestima
  • Uber cria projeto para prevenção de violência contra a mulher no Brasil

 

 

Veja Também:  Versace se inspira em São Paulo pra criar bolsa estampada. Veja!