Sabia que no Brasil há cerca de 900 mil índios, que estão divididos em 305 etnias pelo menos 274 idiomas? Esses dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), divulgados em 2016, mostram que nosso país é um dos que tem maior diversidade sociocultural do mundo. Para ter uma ideia, em comparação, em todo continente europeu existem 140 línguas nativas – quase metade do que encontramos por aqui. Ainda assim, em pleno 2019, continuamos lendo notícias sobre invasão de terras, conflitos históricos entre índios e garimpeiros, violação de direitos humanos e ameaças de líderes indígenas. 

Quais são os maiores povos indígenas do Brasil? (Foto: Getty Images)

 

E nesta sexta-feira, 9 de agosto, em que é comemorado o Dia Internacional dos Povos Indígenas, decidimos celebrar a diversidade e compartilhar quem são os maiores povos que vivem em território nacional. Eles estão nos quatro cantos do país, mas é a região Norte que abriga a maior parcela de índios brasileiros, com 37,4%. Em segundo lugar está a região Nordeste, com 25,5%, seguida de Centro-Oeste (16%), Sudeste (12%) e Sul (9,2%).

De acordo com dados da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), os cinco povos mais numerosos do país são guaranis, ticuna, caingangue, macuxi e terena. Saiba mais sobre eles.

saiba mais

  • Anitta defende povos indígenas
  • Famosos celebram o Dia do Índio: “Respeito pela natureza e pela sabedoria ancestral”
  • Raízes do Brasil: 5 profissionais que usam a arte para se conectar com suas origens

 

GUARANIS
O povo guarani vive no Brasil, Paraguai, Uruguai e Bolívia. Em território nacional, formam o povo indígena mais populoso e dividem-se entre caiová, ñandeva e mbya. Os três grupos têm costumes parecidos, já que a liderança espiritual é exercida pelo tamoi (avô), mas possuem idiomas e culturas diferentes, como no caso da aceitação da poligamia.

Veja Também:  Prestes a completar 17 anos, irmã de Bruna Marquezine muda o visual

TICUNA
Como são adeptos da pesca e caça, a maioria das aldeias está localizada perto do rio Solimões. A família se divide em dois grupos: um com nome de aves e outro com nomes de plantas e animais terrestres. Assim, os casais são formados sempre com um representante de cada grupo e a nova família herda os hábitos do homem. Além do Brasil, vivem no Peru e Colômbia.

CAINGANGUE
Assim como os ticunas, os caiangues também são divididos em duas metades. E toda comunidade tem uma autoridade, o cacique, eleito de forma democratica pelos homens com mais de 15 anos. É ele quem toma as decisões políticas da tribo e, por isso mesmo, normalmente escolhe um vice-cacique do grupo oposto, o que facilita a tomada de decisão e aceitação política. Nesse caso, diferentemente dos ticunas, o casal e a nova família vai morar com o pai da noiva.

MACUXI
Vivem de pesca, caça, criação de gados, garimpo de ouro, além de coleta de madeira e argila. Como os macuxis moram em regiões com longos períodos de seca e chuva, costumam trabalhar e estocar alimento nos períodos de estiagem e viver de alimentos armazenados durante a seca.

TERENA
Diferentemente do que acontece com os caingangues, as novas famílias de terenas vão morar com o pai do noivo. Esse povo teve um crescimento muito rápido, o que o tornou mais urbanizado. Isso porque o excesso de gente nas aldeias fez com que os índios procurassem empregos na cidade, como no comércio de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul.